quarta-feira, 28 de novembro de 2007

Considerada “Piada Política” FRETILIN Reage Com Seriedade

Uma situação na sessão plenária causou alguma desordem de alguns minutos, antes de a mesa do Parlamento Nacional ter encerrado a mesma sessão. A desordem surgiu entre um deputado da bancada FRETILIN e o deputado da bancada Aliança Maioria Parlamentar (AMP), Pedro da Costa, por este ter feito uma declaração insultuosa e difamatória contra a bancada FRETILIN.

Na declaração, o deputado da bancada CNRT, Pedro da Costa, disse que em relação ao problema de electricidade e água na capital de Díli há certos indivíduos que andam por detrás destes casos, para que os geradores continuem avariados, com o objectivo de derrubar o Governo AMP e provocar eleições antecipadas.

Essa declaração causou a indignação por parte do deputado da bancada FRETILIN, que reagiu com críticas directas ao referido deputado. O deputado David Dias Ximenes afirmou que se o deputado tiver provas concretas deve apresentá-las, em vez de lançar “piadas” no Parlamento Nacional.

«Estamos aqui no Parlamento Nacional para lançar “piadas” uns aos outros. Que a questão de electricidade e da água surge porque alguns líderes estão por detrás a ordenar a avaria das máquinas. Com o objectivo de causar uma eleição antecipada e derrubar o Governo. Se tiver provas poderá mostrar ou citar o nome do líder. Por exemplo, David Dias Ximenes é que ordenou este ou aquele fulano. Ou o Manuel é que mandou este ou aquele destruir as máquinas. E assim podemos avançar com o processo. Não devem incriminar a esquerda e a direita», salientou David Dias.

O deputado da bancada FRETILIN e ex-Secretário de Estado para Assuntos Veteranos na governação da FRETILIN afirmou que essa declaração é uma acção de campanha política.

«Neste Parlamento as pessoas adivinham à esquerda e à direita, isto significa que queremos difamar uns e outros. Ainda não chegou o tempo da campanha. Neste momento temos de nos sentar juntos e vermos em conjunto o que ainda não é bom e corrigir. O que está bom, fazemos melhor, em vez de estarmos aqui no Parlamento a lançar piadas uns aos outros», afirmou David.

O actual deputado e ex-veterano considera a declaração como uma difamação da bancada da oposição, portanto como veterano na bancada da oposição ou na bancada FRETILIN não concorda.

«Não concordo com isso. Se a bancada da oposição cometer algum erro, indiquem o erro. Quem é que cometeu o erro, deve citar-se o seu nome. Por exemplo David Dias Ximenes destruiu a electricidade, a água como condição para obter uma eleição antecipada. Assim podemos apanhá-lo e metê-lo na cadeia. Não viemos ao Parlamento Nacional só para lançar “piadas”. Isso demonstra que somos “exageradores”.

David Dias Ximenes explicou que estamos a implementar vingança política neste Parlamento Nacional. Pode haver vingança política contra quem cometeu algum erro mas não contra quem não comete nenhum erro.

Não é uma “piada”

Em resposta, o deputado Pedro da Costa afirmou que a questão de água e electricidade levantada na plenária não foi uma “piada política” mas uma questão técnica.

«A questão da falta de energia eléctrica, que se encontra sempre apagada e a questão de água que não funciona normalmente, vejo-a mais pelo aspecto técnico. Se um gerador com capacidade X usar X+1, o gerador pode rebentar. Assim também a questão de água, se não temos disciplina no acesso à água, fazendo ligaçãoes ou instalações de qualquer maneira na cidade de Díli, então claro que faltará água em todos lados», referiu Pedro.

Baseado nestas circunstâncias, Pedro pede a qualquer partido que esteja no Governo para normalizar o caso da electricidade e da água. Se ainda não se conseguiu resolver estas questões, qualquer partido que esteja a governar não resolverá esses problemas. Como consequência, algumas partes aproveitarão estas questões para causar a queda do Governo.

«Falei sobre isso e a bancada FRETILIN ficou ofendida e reagiu. Mas não citei A ou B. Citei “alguns indivíduos” por detrás, que ordenam estragos de meios para derrubarem o Governo. A FRETILIN reagiu mas penso que isso é normal. A minha visão é uma visão técnica, não é uma questão política», justificou Pedro.

Pedro rejeita ter lançado uma “piada” política, pois falou de uma questão técnica a fim de resolver o problema da electricidade, devido às constantes falhas.

Pedro salientou que na realidade a falha de energia eléctrica é devida a erro do Governo anterior, por não ter controlado a situação de água e da electricidade.

«A decisão foi do Governo anterior, incluindo a decisão do Presidente da República (PR), que apelou a toda a gente para fazer instalações, devendo ter cuidado para não apanharem choques. Foram as declarações políticas que causaram a baixa e cortes de energia eléctrica que por sua vez causaram a avaria dos geradores. Além disso, por causa do descontrolo, aconteceram alguns usos ilegais que aproveitaram para cortar a energia, para incendiar, destruir e roubar os bens dos outros. Todas estas questões constituíram o erro», argumentou Pedro.

Questionado sobre as individualidades que andarão por detrás dessas actuações, Pedro respondeu que não referiu ninguém, mas que seriam alguns “engravatados” a estarem por detrás dessas situações.

«Ainda não identifiquei mas penso que existe uma rede. Porque muita gente faz comentários que se a energia eléctrica estiver sempre apagada causará a queda do Governo AMP. Mas não sabemos quem está por detrás destas situações. Podem ser aqueles que desejam o mal-estar de Timor-Leste. Pode ser também algum estrangeiro que tem estado em Timor-Leste. Por terem interesses em Timor-Leste, mandam os seus membros para fazerem manobras», explicou Pedro. JNSemanário.

Sem comentários: