domingo, 12 de agosto de 2007

Timor Leste: UN police arrest 34 over E Timor violence

Fretilin supporters are angry at the appointment of Xanana Gusmao as prime minister.

Fretilin supporters are angry at the appointment of Xanana Gusmao as prime minister. (AFP: Jewel Samad)

United Nations police in East Timor have arrested 34 people in relation to violence in the eastern part of the country over the past few days.

UN spokeswoman Alison Cooper says 21 were detained in Baucau, just east of Dili, and charged with creating a public disturbance by blocking roads, throwing stones and burning tyres.

Another two arrested in the town have been charged with building home-made weapons.

In Quelicai, nine people have been arrested for carrying illegal weapons in relation to their alleged role in an attack on a UN convoy on Friday.

A further two people have been arrested for alleged arson in Quelicai for the burning of houses.

Ms Cooper says all 34 cases are with the Office of the Prosecutor for Timor-Leste.

She says the situation in Baucau and Dili has been calm over the past few days, with a strong presence by UN police, the East Timor national police, Australian-led international stabilising forces and the East Timorese armed forces.

The violence followed the announcement last week of the appointment of former president and resistance leader Xanana Gusmao as the country's new prime minister, angering supporters of the Fretilin party, which won the most seats at the June 30 legislative elections.

Mr Gusmao leads a coalition that holds a parliamentary majority.

10 comentários:

Anónimo disse...

E segundo o Jorge Heitor do Público, "notícias da EFE e da Reuters, não confirmadas pelas Nações Unidas, davam conta de que uma centena de jovens teria atacado e destruído parte das instalações de um convento no distrito de Baucau.

"Houve luta nas imediações do convento, com armas tradicionais, mas dela só resultaram ferimentos ligeiros", declarou à Antena Um uma porta-voz da polícia da ONU, Kedma Mascarenhas, que não confirmou declarações de um padre salesiano segundo as quais algumas alunas da escola ali existente teriam sido violentadas."

PS: Tal como o DN, também o Público dá conta da contradição apontada pela Antena Um.

Chamo a atenção que a ÚNICA fonte das alegadas violações foi o padre salesiano.

Anónimo disse...

"Houve luta nas imediações do convento, com armas tradicionais, mas dela só resultaram ferimentos ligeiros", declarou à Antena Um uma porta-voz da polícia da ONU, Kedma Mascarenhas, que não confirmou declarações de um padre salesiano segundo as quais algumas alunas da escola ali existente teriam sido violentadas."

O que me espanta é que 24 horas depois de ter começado esta novela do padre Salesiano de Baucau, o único media português que tentou esclarecer a questão junto da UNPOL em Timor-Leste tenha sido – e muito bem! - a Antena Um, já que a sua iniciativa foi citada tanto pelo jornalista do Público como do DN.

Francamente que não estou a entender a aparente passividade dos nossos media. Acham eles que não se justifica o esclarecimento de tão graves alegações e se sim porquê?

Exorto os senhores jornalistas a darem corda aos sapatos e já que não querem (ou não podem) ir ao terreno ao menos que peguem no telefone e tentem junto de todas as autoridades – nacionais, internacionais – obter informações para se saber se ocorreram ou não ocorreram violações a crianças e mulheres no orfanato de Baucau.

Anónimo disse...

Afinal o que o padre Salesiano disse que aconteceu às meninas do orfanato não passou de mais uma aldrabice!

Que vergonha um padre mentir apenas para sujar a Fretilin e assim cavar mais divisão entre os Timorenses. Esse homem não é padre é sim um terrorista.

Anónimo disse...

FRETILIN denuncia rumores e manifesta disponibilidade para participar em investigação conjunta sobre a violência

FRENTE REVOLUCIONÁRIA DO TIMOR-LESTE INDEPENDENTE
FRETILIN

Comunicado à Imprensa
12 de Agosto de 2007

A FRETILIN manifestou hoje a sua disponibilidade para participar numa investigação conjunta com funcionários das Nações Unidas sobre os relatos politicamente motivados relativos à violência em Timor-Leste, incluindo o ataque a uma caravana das Nações Unidas na passada sexta-feira, 10 de Agosto.

O Vice-Presidente da FRETILIN, Arsénio Bano, afirmou que o partido envidará todos os esforços para apoiar uma investigação conjunta com a Missão das Nações Unidas em Timor-Leste (UNMIT) com o objectivo de estabelecer os factos e prevenir a continuidade da violência.

“Condenamos todo e qualquer acto de violência e, mais uma vez, apelamos aos nossos apoiantes bem como aos de outros partidos para exercerem o seu direito legal de manifestação por meios pacíficos”, declarou Arsénio Bano.

Afirmou ainda que opositores da FRETILIN estão a disseminar rumores e boatos com o objectivo de enlamear a imagem da FRETILIN.

“Denunciamos em particular o rumor relatado pela comunicação social estrangeira de que membros da FRETILIN estão a distribuir armas com o objectivo de realizar uma insurreição armada. É inteiramente falso!

Foram disseminados rumores semelhantes no decurso do ano passado com o objectivo de subverter o governo da FRETILIN”.

Arsénio Bano afirmou que, aparentemente, o ataque perpetrado na passada sexta-feira contra veículos das Nações Unidas foi despoletado depois de a Polícia das Nações Unidas ter destruído panos e bandeiras de manifestantes pacíficos da FRETILIN.

“Apesar deste acto praticado pela Polícia das Nações Unidas ser de provocação extrema e ilegal, apelamos aos nossos apoiantes para absterem-se de qualquer reacção violenta”, afirmou Bano.

“Assiste-nos o direito legal de manifestação pacífica contra um governo ilegítimo que exclui o maior partido do país. Mantemos a nossa posição de que apenas um governo representativo de todos os partidos com assento parlamentar e chefiado por um primeiro-ministro independente poderá assegurar a estabilidade em Timor-Leste”.

Bano afirmou que a Polícia das Nações Unidas e as tropas estrangeiras que integram a Força Internacional de Estabilização estão a tomar uma posição bem mais rígida contra os apoiantes da FRETILIN do que a tomada contra os opositores da FRETILIN no período até à realização dos actos eleitorais.

“A UNPOL e a ISF limitaram-se a observar e nada fazer para por fim à perseguição violenta de apoiantes da FRETILIN em Ermera e noutros locais durante o ano transacto”, afirmou.

“Presentemente, a UNPOL e a ISF cercaram todos os campos de deslocados em Díli com o objectivo de impedir manifestações pacíficas contra o governo ilegítimo.

“O Presidente Ramos-Horta ameaçou despedir funcionários públicos que adiram a manifestações antigovernamentais apesar de o Presidente da República não deter qualquer poder constitucional que o permita fazer e apesar da inexistência de legislação que impeça um funcionário público de participar em acções de protestos quando realizadas para além do seu horário laboral”.

Arsénio Bano declarou que a FRETILIN está a realizar a sua própria investigação relativamente aos relatos divulgados pela comunicação social sobre a alegada violação de estudantes num convento na passada sexta-feira.

“Tudo leva a crer que foi perpetrado um acto de abuso em Baguia, no distrito de Baucau. Foi um acto de cariz exclusivamente criminoso não estando relacionado de forma alguma com os problemas políticos existentes. O acto foi pepetrado por um jovem de 16 anos que outrora vivia no orfanato. Nenhuma relaçao existe com as acções da FRETILIN em Baguia. É um insulto reprovável e inadmissível afirmar que tal acto possa estar de uma qualquer forma relacionado com a FRETILIN”, declarou Arsénio Bano. É a repetição descarada da campanha de descrédito que no ano passado certos órgãos de informação lançaram contra a FRETILIN”, concluiu Arsénio Bano.

Anónimo disse...

O boato das violações no orfanato em Bagia

“EFE – 11 Agosto 2007 - 01:20
Timorenses atacam convento e estupram alunas, uma delas de 8 anos
Díli - Cerca de 100 timorenses atacaram e destruíram ontem à noite um convento-escola em Baucau, no leste do Timor-Leste, e violentaram várias estudantes, entre elas uma menina de 8 anos, informaram hoje fontes da instituição.”


"UNMIT
Detenções policiais no seguimento da violência em Timor-Leste

Dili, Agosto 12 2007 – A polícia das Nações Unidas em Timor-Leste prenderam 34 pessoas em relação com a violência na parte leste do país nos últimos dias.

Em Baucau, foram presas 21 pessoas e acusadas de criar distúrbios públicos incluindo bloqueio de estradas, apedrejamentos e queima de pneus. Mais duas pessoas foram presas e acusadas d fabricarem armas caseiras.

Em Quelicai, foram presas nove pessoas por terem na sua posse armas ilegais em relação com o seu alegado papel no ataque a uma caravana da ONU na Sexta-feira. Mais duas pessoas foram detidas por alegado fogo posto em Quelicai para queimar casas.

Todos os 34 casos oram entregues ao Gabinete do Procurador-Geral de Timor-Leste.

Estão em curso mais investigações policiais à violência que ocorreu desde Segunda-feira em Timor-Leste.

A situação em Baucau e Dili tem estado calma nos últimos dias . A UNPol, a PNTL, a ISF e as FFDTL continuam a manter uma presença forte em todo o país para manterem a lei e a ordem.

Esta declaração é atribuída à porta-voz da UNMIT Allison Cooper.
Para mais informações por favor ligue +670 7230453. "


NOTA DE RODAPÉ:

A UNMIT não refere quaiquer violações num orfanato em Baucau. Pelo contrário, diz que a situação em Baucau tem estado calma nos últimos dias.

Houve uma disputa familiar junto do orfanato, que envolveu umas dezenas de pessoas, mas nenhuma criança ou jovem foi violentada.

Nas homilias de hoje, nenhum padre referiu este incidente, que não passou de um boato lançado pelo padre Basílio Maria Ximenes a que Agio Pereira, antigo chefe de gabinete de Xanana Gusmão e actual Secretário de Estado do Conselho de Ministros se apressou a espalhar vergonhosamente.

Anónimo disse...

1 - No dia 11 a US/EFE pôr a correr pelo mundo um texto com o tìtulo “Grupo de Jovens Atacam Colégio Salesiano e Estrupam Mundo”, onde relatava que no dia 10 de Agosto “cerca de cem timorenss atacaram e dstruíram ontem à noite um convento-escola em Baucau violentando várias estudantes, entre elas uma menina de oito anos, informaram hoje fontes da instituição. O superior da ordem dos Salesianos, Basílio Maria Ximenes, atribuiu o ataque a supostos militantes da Frente Revolucionária de Timor-Leste Independente (Fretilin), descontentes com a nomeação de Xanana Gusmão como primeiro-ministro. "Os jovens que atacaram o convento e a escola são militantes da Fretilin. O pessoal e estudantes reconheceram alguns dos sujeitos que violentaram as estudantes no convento", acusou o padre salesiano.
Ximenes explicou que os militantes da Fretilin, partido liderado pelo ex-primeiro-ministro Mari Alkatiri, consideram os sacerdotes e freiras da Igreja Católica como seus inimigos. "Condeno esta tragédia porque ocorreu no convento, um lugar sagrado, e entre as meninas há uma de apenas 8 anos", acrescentou. A Polícia de Baucau, cerca de 120 quilómetros a leste de Díli, confirmou à Efe o ataque ao convento-escola, e disse que abriu uma investigação para deter os suspeitos.”

2 - Horas depois, a Reuters retoma a mesma notícia com ligeiras variações onde a fonte (Basilio Maria Ximenes) é apresentada como “responsável pelo orfanato salesiano Don Bosco”, os perpetradores são “uma multidão” que “vandalizou e destruiu a escola primária daquele orfanato” e diz que “várias alunas foram abusadas sexualmente, incluindo uma menina de doze anos”.

3 – Em Portugal, tanto quanto me apercebi, estas notícias foram de imediato agarradas pelo jornal online Portugal Diário com o mesmo conteúdo da notícia da US/EFE mas citando como fonte a Rádio Vaticante (http://www.portugaldiario.iol.pt/noticia.php?id=842180&div_id=291), pela TSF e pelo Público Online.
Já no dia 12 as edições impressas do Público e do DN, atenuavam a informação (acrescentando que à Antena 1, a porta-voz da polícia das Nações Unidas, Kedma Mascarenhas, disse que se registaram apenas confrontos entre dois grupos rivais nas imediações do convento e que "não houve feridos entre as mulheres e as crianças"), mas durante praticamente todo o dia no Portugal Diário e no on-line do Público manteve-se exactamente o mesmo texto sem a rectificação da porta-voz da UnPol. Honra lhes seja feita não me apercebi que nenhum dos canais de TV nacionais tenham sequer mencionado tais “notícias”.

4 - Contudo, hoje, dia 13, logo pela manhã, deparei-me com uma peça na Euronews com todos os ingredientes – alastra a violência em TL, alegados seguidores da Fretilin destruíram casas e edifícios públicos em Díli e Baucau, mulheres e uma criança de 12 anos violadas em Baucau, a morte de uma menina em Viqueque, nem a ONU escapa ao clima de violência com o ataque à caravana, no domingo a Fretilin negou que estivesse a preparar um levantamento armado, etc, etc. etc. -. E esta peça está a passar todas as meias horas, intoxicando a Europa toda, pois que a Euronews é o canal televisivo patrocinado pelo Conselho Europeu. Não me espantaria que agora outras TV's europeia – e não só! - repesquem esta salada-russa noticiosa.

5 - Há um velho ditado que muitas vezes tem sentido – quem os seus inimigos poupa, às mãos lhe morre.
Nesta questão houve um responsável dos Salesianos que espalhou mentiras repugnantes e difamações aberrantes para atacar a Fretilin, a honra de todos os seus militantes e seguidores e dar a ideia de que os Timorenses são uns selvagens bárbaros que não olham a meios para alcançar os seus fins.
Houve – e continua a haver - medias que foram e estão a ser o instrumento para a difusão dessas mentiras e difamações.
E há instituições que estão ou activamente (governo) ou passivamente (PR, PN, UNMIT, igreja) a colaborar nesta farsa que me parece ter o objectivo de mostrar ao mundo que TL é já um Estado falhado a precisar de ser tutelado.
E penso que se deve de imediato atalhar esta deriva anti-soberania e independência nacional e responsabilizar não apenas o autor da invenção, como os seus difusores e branqueadores.
Todos sabemos o papel que supostas “violações em massa” tiveram na preparação da opinião pública para a justificação de operações bélicas e de ingerências na soberania de nações (lembram-se da Bósnia?) e também todos nos lembramos que o ICG tem sede em Washington, delegação em Bruxelas, anda sempre de braço dado com o Vaticano e é presidido pelo Gareth Evans, o ex-MNE Australiano que fez a negociata da Austrália com a Indonésia sobre o petróleo do Mar de Timor à revelia da lei internacional.

Anónimo disse...

DECLARAÇÃO DA BANCADA SOBRE A CAMPANHA DE DIFAMAÇÃO EM CURSO CONTRA A FRETILIN

Sr Presidente do Parlamento Nacional, Excelência,
Ilustres Deputados,
Povo de Timor-Leste:

A bancada Parlamentar da FRETILIN apresenta-se hoje nesta sessão plenária para fazer ouvir a sua voz contra a campanha difamatória que está em curso.

A FRETILIN vê com grande preocupação o desenrolar de mais uma campanha orquestrada para espalhar o boato e o rumor em tudo semellhante ao que assistimos durante a crise, que eclodiu em Abril de 2006 e que determinou a constituição da Comissão de Inquérito Internacional.

Nessa altura, dizia-se as F-FDTL tinham cometido uma massacre em Taci-Tolu, maior que o massacre de Santa-Cruz. Alguns falavam em mais de 100 mortos outros “contaram” pelo menos 66 .

Os peticionários nessa altura andavam aterrorizados porque lhes fizeram crer que as F-FDTL tinham recebido ordens para os eliminar, um por um.

O comando das F-FDTL em particular o general Ruak, o coronel Lere Anan Timur e o tenente-coronel Falur Rate Laek eram apresentados como “mass murders” ou seja autores de genocidio.

A Bancada Parlamentar da FRETILIN vê com preocupação o desenrolar de manobras maquiavélicas tendentes a provocar a violência para justificar a violência e abrir caminho à instauração de um regime de ditadura onde as vozes discordantes são silenciadas, onde impera a lógica de “Quem não está comigo está contra mim” uma lógica que leva a ter como inimigos a abater, a todo o custo, os que não querem ser sub-servientes, os que não partilham a mesma visão do poder.

Sr Presidente do Parlamento Nacional, Excelência,
Ilustres Deputados,
Povo de Timor-Leste:

Na primeira declaração da Bancada Parlamentar a FRETILIN afirmou:

“ Vamos descer às bases para explicar ao eleitorado a nossa posição porque é nossa obrigação fazê-lo. Vamos informar porque não formamos Governo e assumimos a oposição.

Ao irmos ao encontro dos nossos eleitores explicaremos que o momento actual nos exige serenidade e calma, exige que lancemos mão dos meios legais existentes, mostrando sentido de Estado e respeito pela Democracia e pela Lei, que sempre caracterizou a FRETILIN.”

E a terminar a sua Declaração a Bancada da FRETILIN afirmou e citamos:

“Solicitamos o vosso apoio, para instruirem os militantes dos vossos partidos, para que se abstenham de fazer provocações e ter atitudes atentatórias à dignidade humana, apenas com base na diferença de filiação partidária.

Apelamos a todo o povo que permaneça calmo de forma a garantirmos a estabilidade e podermos desenvolver o país que todos nós amamos e pelo qual já tantos e tantos deram a vida e consentiram sacrifícios.”

E é isso que os Deputados da FRETILIN estão a fazer. Desceram às bases e começaram a explicar porque razão é que apesar de termos ganho as eleições, não formamos governo.
Fomos explicar porque é que o Partido que ganhou as eleições e é minoritário no Parlamento não forma Governo e porque é que aqueles que perderam as eleições, mas juntos têm a maioria no Parlamento vão passar a governar o país.

Sr Presidente do Parlamento Nacional, Excelência,
Ilustres Deputados:

Gostariamos que todos compreendessem, que se para uns isto é muito fácil de compreender, até porque os beneficia directamente, para largas dezenas de milhares de cidadãos timorenses, é complicado de perceber e aceitar. Por isso assumimos a responsabilidade de explicar a complexidade da situação ao nosso eleitorado e à comunidade em geral.

Mas, MAIS UMA VEZ fomos mal interpretados!

Quando nos encontravamos no distrito de Bobonaro a fazer o esclarecimento que se impunha elementos da auto-intitulada AMP difamavam a FRETILIN acusando-a de cometer crimes tais como apedrejar carros, incendiar edificios públicos, em Dili, Baucau, Lospalos, Viqueque e Oecusse.

Elementos da dita AMP acusam a FRETILIN de descer às bases para criar o anarquismo e fomentar a violência, para dividir o povo.

Pedem que a PNTL, a Unpol e a FSI actuem com firmeza contra os que cometem crimes, insinuando que a FRETILIN estaria por detrás destes, como resulta claro da Declaração que distribuiram e conforme propagandearam no bazar de sábado, em Maliana e que a Bancada Parlamentar anexa, solicitando a atenção dos Ilustres Deputados.

A referida Declaração é objectivamente difamatória e a nossa Bancada faz saber, que hoje mesmo, tratou de apresentar queixa crime contra os seus autores, por haver indícios bastantes do cometimento de um crime previsto e punido pelo artigo 311o do Código Penal em vigor.

A queixa crime foi apresentada contra os subscritores da Declaração:

Jacinto Viegas Vicente também conhecido por Roke, presidente do CNRT de Bobonaro;
Salomão da Cruz , presidente da ASDT de Bobonaro;
Amilcar de Sousa Tavares, presidente do PSD de Bobonaro;
Adriano João, presidente do PD e porta-voz da “AMP” de Bobonaro.

Sr Presidente do Parlamento Nacional, Excelência;

Ilustres Deputados;
Povo de Timor-Leste!

A Bancada da FRETILIN alerta para o rumor e o boato que agora, tal como antes, pessoas de mau carácter espalham. Dizem que a FRETILIN já matou um elemento da GNR para além, de ter queimado 10 carros da UNPOL. Espalham que a FRETILIN está a introduzir armamento através da fronteira e que se prepara para fazer uma insurreição geral armada para tomar o poder, que a FRETILIN violou crianças, menores de 8 anos de idade.

E, tal como o “massacre de Taci-Tolu”, que nunca teve lugar, alguns destes boatos já correm no estrangeiro, como se de factos se tratassem.

Povo de Timor-Leste!
NADA É MAIS FALSO!

Sr Presidente do Parlamento Nacional, Excelência,
Ilustres Deputados:

A FRETILIN através da sua Bancada Parlamentar e desta Magna Casa apela aos bons ofícios de Sua Excelência o Senhor Presidente da República, orgão de soberania unipessoal, com plena legitimidade democrática, para que garanta que sejam feitas investigações de forma isenta, séria e profissional a todos os desmandos e actos criminosos que tiveram lugar em Dili, designadamente o fogo posto ao edifício das alfandegas e todos os outros incidentes graves como as alegadas violações que terão acontecido num “convento ?” em Baucau, bem como o fogo posto a mais de 250 casas na zona de Uatolari, distrito de Viqueque e noutros locais em Oecusse.

A Bancada da FRETILIN exige que a verdade seja reposta e os criminosos, sem excepção, sejam chamados à responsabilidade.

A FRETILIN receia que estejam a ser usados os métodos da KOPASSUS, de triste memória, em que os seus agentes cometiam crimes que depois atribuiam ao seu inimigo, para justificar a repressão e a brutalidade com que actuavam.

O nosso Povo merece viver em sossego e não podemos pactuar com desordeiros e criminosos.
Sr Presidente do Parlamento Nacional, Excelência,
Ilustres Deputados:

Vamos todos garantir que a democracia não possa ser posta em causa no país, por ninguém!
VIVA A UNIDADE NACIONAL!
VIVA A DEMOCRACIA!
VIVA TIMOR-LESTE INDEPENDENTE!
Pela Bancada de FRETILIN
..................................................
Aniceto Longuinhos Guterres Lopes
(Chefe da Bancada Parlamentar)

Anónimo disse...

Como já era expectável, alguns media portugueses pegaram na salada-russa da Euronews e relataram hoje incidentes que têm ocorrido desde sexta-feira em Timor-Leste. Nisto se destacaram particularmente os medias do universo Balsemão - Lusa, Diário Digital, Expresso – e para ainda muito pior a SIC.
Em relação aos primeiros, o truque consiste na confusão entre um acto individual de violação - sempre reprovável – e um “ataque” seguindo aliás a linha do responsável Salesiano já antes denunciada, que retomam.

Em relação à Sic, basta ver o texto que mantém on-line:
“Publicação: 13-08-2007 11:51 | Última actualização: 13-08-2007 12:00

Violência em Timor controlada. Forças internacionais controlaram a situação, mas há milhares de deslocados. Depois de vários dias de violência, a situação em Timor-Leste está mais calma. A ajuda dos capacetes azuis foi essencial para o controlar da violência nas ruas, provocada pelos apoiantes da Fretilin.

Ao redor de Viqueque há cerca de 10 mil deslocados, enquanto que outros milhares de pessoas fugiram das cidades. De acordo com as autoridades locais, morreram ao todo 37 pessoas, entre elas uma criança. Há também registo de uma série de violações a crianças numa escola de Baucau neste fim-de-semana.

A onda de violência começou na semana passada, quando na terça-feira a coligação liderada por Xanana Gusmão foi escolhida para formar governo. A nomeação de Xanana Gusmão veio pôr fim às pretensões da Fretilin (que venceu em Junho as eleições legislativas) de liderar os destinos do país.

A escolha de Xanana foi feita pelo presidente timorense, Ramos-Horta, e veio desencadear uma reacção de forte violência por parte de grupos ligados à Fretilin, que levaram a cabo pilhagens, tiroteios e ataques às populações civis.

Coube às forças internacionais no terreno controlar a situação. Treze pessoas foram detidas, suspeitas de atacar uma coluna de viaturas das Nações Unidas. As autoridades policiais timorenses já garantiram que os responsáveis pela onda de violência foram identificados e presos.

O recém-formado governo de Xanana Gusmão tem agora de lidar com os problemas de milhares de deslocados. Espera-se que hoje comece a ser enviada ajuda humanitária para Baucau e Viqueque.”

http://sic.sapo.pt/online/noticias/mundo/070813_Violencia+em+Timor+chega+ao+fim.htm

Sublinho a total falta de profissionalismo de quem escreve estas flagrantíssimas mentiras: “De acordo com as autoridades locais, morreram ao todo 37 pessoas, entre elas uma criança. Há também registo de uma série de violações a crianças numa escola de Baucau neste fim-de-semana.”!!!

E como se isso já por si não fosse mau, foi com bastante indignação que acabei de ver na SIC-Notícias uma peça sobre a situação da segurança em Timor-Leste e em particular a amalgama que fizeram entre o acto - sempre reprovável, repito! - de um menor de 16 anos ter violado uma menor e as perturbações à ordem no país. E foi também foi com estupefacção que ouvi relatarem que "uma criança morreu em Viqueque e outras foram violadas em Baucau", tanto mais que ouviram autoridades – o vice-primeiro-ministro e um responsável da UnPol - que sobre isto não foram convidados a pronunciaram-se,

Em contrapartida achei bastante correctas e informativas as peças que a RTP e a TVI passaram nos respectivos noticiário das 13 horas.

Anónimo disse...

FRETILIN denuncia rumores e manifesta disponibilidade para participar em investigação conjunta sobre a violência

FRENTE REVOLUCIONÁRIA DO TIMOR-LESTE INDEPENDENTE
FRETILIN

Comunicado à Imprensa
12 de Agosto de 2007

FRETILIN denuncia rumores e manifesta disponibilidade para participar em investigação conjunta sobre a violência

A FRETILIN manifestou hoje a sua disponibilidade para participar numa investigação conjunta com funcionários das Nações Unidas sobre os relatos politicamente motivados relativos à violência em Timor-Leste, incluindo o ataque a uma caravana das Nações Unidas na passada sexta-feira, 10 de Agosto.


O Vice-Presidente da FRETILIN, Arsénio Bano, afirmou que o partido envidará todos os esforços para apoiar uma investigação conjunta com a Missão das Nações Unidas em Timor-Leste (UNMIT) com o objectivo de estabelecer os factos e prevenir a continuidade da violência.


“Condenamos todo e qualquer acto de violência e, mais uma vez, apelamos aos nossos apoiantes bem como aos de outros partidos para exercerem o seu direito legal de manifestação por meios pacíficos”, declarou Arsénio Bano.


Afirmou ainda que opositores da FRETILIN estão a disseminar rumores e boatos com o objectivo de enlamear a imagem da FRETILIN.


“Denunciamos em particular o rumor relatado pela comunicação social estrangeira de que membros da FRETILIN estão a distribuir armas com o objectivo de realizar uma insurreição armada. É inteiramente falso!


Foram disseminados rumores semelhantes no decurso do ano passado com o objectivo de subverter o governo da FRETILIN”.


Arsénio Bano afirmou que, aparentemente, o ataque perpetrado na passada sexta-feira contra veículos das Nações Unidas foi despoletado depois de a Polícia das Nações Unidas ter destruído panos e bandeiras de manifestantes pacíficos da FRETILIN.

“Apesar deste acto praticado pela Polícia das Nações Unidas ser de provocação extrema e ilegal, apelamos aos nossos apoiantes para absterem-se de qualquer reacção violenta”, afirmou Bano.

“Assiste-nos o direito legal de manifestação pacífica contra um governo ilegítimo que exclui o maior partido do país. Mantemos a nossa posição de que apenas um governo representativo de todos os partidos com assento parlamentar e chefiado por um primeiro-ministro independente poderá assegurar a estabilidade em Timor-Leste”.


Bano afirmou que a Polícia das Nações Unidas e as tropas estrangeiras que integram a Força Internacional de Estabilização estão a tomar uma posição bem mais rígida contra os apoiantes da FRETILIN do que a tomada contra os opositores da FRETILIN no período até à realização dos actos eleitorais.


“A UNPOL e a ISF limitaram-se a observar e nada fazer para por fim à perseguição violenta de apoiantes da FRETILIN em Ermera e noutros locais durante o ano transacto”, afirmou.


“Presentemente, a UNPOL e a ISF cercaram todos os campos de deslocados em Díli com o objectivo de impedir manifestações pacíficas contra o governo ilegítimo.


“O Presidente Ramos-Horta ameaçou despedir funcionários públicos que adiram a manifestações antigovernamentais apesar de o Presidente da República não deter qualquer poder constitucional que o permita fazer e apesar da inexistência de legislação que impeça um funcionário público de participar em acções de protestos quando realizadas para além do seu horário laboral”.


Arsénio Bano declarou que a FRETILIN está a realizar a sua própria investigação relativamente aos relatos divulgados pela comunicação social sobre a alegada violação de estudantes num convento na passada sexta-feira.


“Tudo leva a crer que foi perpetrado um acto de abuso em Baguia, no distrito de Baucau. Trata-se de um acto hediondo que condenamos veementemente. Foi um acto de cariz exclusivamente criminoso não estando relacionado de forma alguma com os problemas políticos existentes. O acto foi perpetrado por um jovem de 16 anos que outrora vivia no orfanato. Nenhuma relação existe com as acções da FRETILIN em Baguia. É um insulto reprovável e inadmissível afirmar que tal acto possa estar de uma qualquer forma relacionado com a FRETILIN”, declarou Arsénio Bano.

É a repetição descarada da campanha de descrédito que no ano passado certos órgãos de informação lançaram contra a FRETILIN”, concluiu Arsénio Bano.


Contactos:
Arsénio Bano, Vice-Presidente e membro da Comissão Política Nacional da FRETILIN, Telefone (+670) 733 9416 e-mail: fretilin.media@gmail.com

José Teixeira, deputado da FRETILIN (+670) 733 5060.

Anónimo disse...

Xanana é um ditador, usurpador, déspota, simulado, aldrabão que se apoderou ilegalmente do poder pois PERDEU, PERDEU, PERDEU e qum perde fica na oposição.

Fora com o governo do usurpador e déspota Xanana!

Fora com o governo do ladrão Xanana!

Foa com o governo do traidor Xanana!

Fora com o CNRT Austrália!